Novo Mapa das Religiões - Neri, Marcelo Cortes, Carvalhaes, Luisa

Outubro/2011

Sobre o paper: 

Resumo - O Brasil é o país com a maior população católica. A evolução de variáveis socioeconômicas na década de 1990, aí incluindo casamentos, fertilidade, renda, moradia entre outras, revelam que nenhuma mudou tanto quanto a composição religiosa da população brasileira. O Censo é a base de dados mais usada nos estudos no tema, porém, as estatísticas estão hoje paradas no Censo 2000. A Pesquisa de Orçamentos Familiares 2009 – POF/IBGE permite medir a religiosidade brasileira recente detalhando subgrupos religiosos com classificação comparável a do Censo e possibilidade de cruzamentos com uma gama maior de variáveis. Este estudo processa microdados da POF de 2003 e 2009, quando o contexto econômico difere das décadas anteriores, permitindo estudar as relações entre economia e religiosidade num contexto de expansão. Mostramos que: i) há velocidade de queda do catolicismo dez vezes mais rápida do que a observada entre 1872 e 1980, mas similar à dos anos 1990, embora as novas filiações sejam não apenas nos grupos evangélicos pentecostais, mas mais nos protestantes tradicionais; ii) ao contrário dos países europeus mais católicos que vivem contração econômica (PIIGS), as localidades brasileiras mais católicas vivem expansão mais forte que as demais; iii) os brasileiros se mostram na mediana de frequência a cultos religiosos em 150 países; iv) as mulheres, embora mais religiosas que os homens, tornaram-se menos católicas; v) os jovens mostram uma fuga mais acelerada do catolicismo. - Palavras-chave: Religião. Economia. Max Weber. Mapa das Religiões no Brasil.

Artigo publicado na Revista ​Horizonte, Belo Horizonte, v. 9, n. 23, p. 637-673, out./dez. 2011 - ISSN: 2175-5841 

Pesquisas